Contact Us × +
Nama

Email Address*

Pesan*


Carros usados com bem mais de 100 mil km

Carros usados com bem mais de 100 mil km


Há algum tempo atrás, muita gente nem sonha em chegar aos 60.000 km com um carro, já que a rotatividade a cada três anos ou menos zerava o hodômetro com a troca de modelo de veículo. Hoje, com o mercado em recessão, poucos se atrevem a realizar essa manobra.

Para quem decidiu ir em frente, a barreira dos 100.000 km pode assustar e a troca por um menos rodado ou novo começa a ser considerada. Mas, existe vida após os 100.000 km? Falar em comprar um carro com mais de uma centena de milhar no hodômetro parece insano para a maioria.

No entanto, se o veículo for tratado como se deve – sem exageros, fazendo o que é o recomendável – um veículo pode ir muito além dessa marca. Mas e a marca conta, não é? Nenhum veículo, por mais sofisticado ou simples que seja, não está isento de problemas. Não existe a máquina perfeita.

Partindo desse princípio, acreditamos que a grande maioria das marcas sejam confiáveis a ponto de garantir a durabilidade de seus produtos após os 100.000 km. Para quem torce o nariz para coreanos ou chineses, especialmente no segundo caso, confira a Avaliação NA do JAC J3 usado.

Mas, voltando ao “além dos 100.000 km”, podemos ver na internet vários anúncios de carros usados com quilometragem muito, mas muito alta. Antes, porém, devemos notar que muitos de alto km são picapes ou utilitários diesel, assim como em carros de passeio, as versões mais completas apresentam números bem mais altos que os de versões de entrada ou intermediárias.

Em um site de venda de carros, por exemplo, a busca por um usado com km entre 100.000 e 1.000.000 apresentou 34.001 resultados.

Picape

Nos casos citados acima, pensando em uma picape diesel, podemos observar alguns anúncios interessantes, porém, surpreende a quantidade de anúncios com veículos em torno de 100.000 km. Parece que tem muita gente evitando ir além disso.

Mas, encontramos, por exemplo, Nissan Frontier Attack 2.8 2006/2007 com 383.795 km rodados por R$ 45.000. Com a mesma quilometragem, mas 2000/2001, uma Dodge Dakota Sport 2.5 CE é oferecida por R$ 34.990 e está com 390.927 km. Da mesma época, uma F-250 XLT CS 4×2 sai por R$ 55.000, mas com 357.259.

Para os saudosistas, uma Chevrolet D20 Custom 4.0 diesel 1994/1995 sai por R$ 39.900, mas o km está em 393.244 km e a aparência é muita boa. Por fim, a oferta mais com km mais confiável – sem os 999.999 – é de uma Ford F-4000 3.9 1983 com 613.868 km. O caminhão leve custa R$ 28.000.

SUV

Os utilitários esportivos também marcam presença em peso após os 100.000 km rodados. Numa rápida busca, encontramos dois modelos manuais com praticamente a mesma quilometragem, mas com preços e idades bem diferentes.

De um lado, Chevrolet Blazer DLX Executive V6 4.3 4×4 com 298.000 rodados e R$ 20.000 para levar para casa. O outro é uma Toyota SW4 SRV 3.0 4×4 2006/2006, que tem 298.400 km e sai por R$ 75.000. Na busca, encontramos chineses também. Um Chery Tiggo 2.0 4×2 2010/2010 tem 139.546 km rodados e estão pedindo R$ 24.790.

Neste segmento, chamou a atenção a quantidade de clássicos 4×4 com uma quilometragem aceitável para as idade e proposta. Um Toyota Bandeirante 1976 com 308.565 km está sendo anunciado por R$ 23.000. Outro exemplo é uma Ford Rural 1971 3.0 4×2 tem 704.468 km. Esse já está quase chegando da Lua e custa apenas R$ 21.990.

Para quem temia a barca cinza escura, mas hoje quer ter uma na garagem, tem uma Chevrolet Veraneio diesel 1974 por R$ 30.000. Ela já rodou bastante também: 648.000. Para quem não era dessa época, tem uma da segunda geração com 372.621 km rodados e custando R$ 46.950.

Popular

Até agora, picapes e utilitários esportivos bem rodados não parece problema. Afinal, são robustos e projetados para aguentar bem o tranco, durando muitos anos com o cuidado devido. Mas o que falar dos populares? Será que ele carrinho barato sobrevive além da “fronteira final”?

Para deixar a pesquisa mais interessante, listamos apenas os hatches com motor 1.0 entre 100.000 e 1.000.000 km. Assim, olhe só o que encontramos. Um Ford Ka 2007/2007 oferecido por R$ 12.990 tem em seu hodômetro 782.587 km. Se o da Ford anda muito, outro da Chevrolet também. Um Corsa Maxx 2008/2009 tem 814.310 km e sai por R$ 24.000. Detalhe: cor cinza. Ou seja, longe de parecer carro de frota, embora não seja impossível isso acontecer.

Acima desse, as órbitas de anúncios suspeitadamente fora da realidade. Há franceses entre os muito rodados, geralmente criticados por conta da resistência e custo de manutenção. Um Renault Clio RN 2001/2002 no Paraná tem 204.000 km rodados e custa R$ 13.500. Outro igual, mas de cor cinza, tem o mesmo km e sai por R$ 11.900. Este último está no interior de SP.

Como falamos em vida após 100.000 km no começo da matéria, lembramos de um motor peculiar que na época foi anunciado com vida útil estimada em 240.000 km. Este era o Zetec Supercharger do Ford Fiesta e achamos um perto disso: 211.943 km. Trata-se de um modelo 2002/2003 sendo oferecido por R$ 14.900. Bom, é uma estimativa que pode não refletir na realidade.

Volvo e Porsche

Entre os sedãs, chama atenção um Volkswagen Bora 2.0 MI 2008/2008 com 791.037 km e preço de R$ 23.700. As revisões foram feitas pela agenda do carro ou concessionário, de acordo com o anúncio.

Acima de 1.000.000 km rodados, os anúncios apresentam erros de digitação da quilometragem. Ainda assim, podem existir carros com mais de um milhão de quilômetros rodados. No exterior, exemplos de um Volvo P1800 de Irv Gordon e Porsche 356 de Guy Newmark chamam atenção pelas enormes distâncias percorridas em décadas de uso.