Contact Us × +
Nama

Email Address*

Pesan*


Qualcomm quer usar frequência 3.5 GHz para testar 5G nos EUA

Qualcomm quer usar frequência 3.5 GHz para testar 5G nos EUA


Empresa pediu aprovação ao órgão regulador norte-americano para utilizar espectro, além do uso de drones.

Qualcomm solicitou a Federal Communications Commission (FCC), órgão norte-americano que regula telecomunicações nos Estados Unidos, autorização para utilizar a faixa de frequência 3560-3650 MHz para realizar testes de desenvolvimento do 5G. A companhia já havia utilizado o espectro para desenvolver tecnologias 4G LTE sob o sinal de chamada WH2XIN no passado.
AT&T faz segundo teste em rede 5G para transmitir conteúdo online
A intenção da empresa é reduzir a frequência para a 3550 MHz, em vez de 3650 MHz, mas a alta extremidade continua sendo esta última. A Qualcomm também pede para aumentar a largura de banda de transmissão para 100 MHz.
Para habilitar o teste 5G, a Qualcomm diz que é necessário um 10 MHz adicional de espectro para suportar a largura de banda necessária do canal de 100 MHz. A intenção é operar as redes LTE e 5G 24 horas por dia, 7 dias por semana, por um período de um ano.
O teste usará até 10 estações fixas e até 50 sites de small cells, com dispositivos móveis a serem operados dentro da cobertura fornecida por sites fixos, ambos suportando o MIMO.
A Qualcomm também permissão para usar drones dentro de um raio de uma milha a uma altitude de 400 pés, utilizando o espectro para testar seus sistemas de drones. Em testes anteriores com as aeronaves não-tripuladas, a Qualcomm demonstrou que as redes LTE podem suportar a operação segura de drones. A empresa é um membro ativo do Subcomitê do Comitê Consultivo do Drone (DAC-SC) e está contribuindo com pesquisa e conselhos para a indústria e o órgão regulador da aviação dos EUA sobre a viabilidade do uso de redes comerciais de celular para uma operação segura do drone.
Embora algumas entidades tenham pressionado a FCC para avançar com os esforços de certificação para a banda de 3,5 GHz, sua configuração de compartilhamento exclusiva requer a aprovação dos administradores do Sistema de Acesso ao Espectro (SAS) e de Capacidade de Sensibilidade Ambiental (ESC), departamento do FCC . CTIA e T-Mobile estão recomendando termos de licenciamento mais longos e um alinhamento mais próximo dos 3,5 GHz com o resto do mundo para 5G.